Proposta da Irlanda de ter mais um membro na CE é criticada

Bruxelas, 8 dez (EFE) - O objetivo da Irlanda de manter um membro na Comissão Européia (CE, braço Executivo da União Européia) recebeu hoje uma grande oposição entre os ministros de Exteriores da UE, que discutiram as idéias de Dublin para poder ratificar o Tratado de Lisboa.

EFE |

A idéia "não agradou a muitos países", afirmou à Agência Efe uma fonte do bloco, que ressaltou que há um temor de que, se houver mudanças no conjunto de reformas institucionais do Tratado de Lisboa, "sejam criados desequilíbrios".

O Tratado prevê que, para ganhar em eficácia, o número de membros da Comissão a partir de 2014 será inferior ao de países-membros da UE, e passaria dos atuais 27 a apenas 15.

Além disso, muitos países insistiram em que qualquer concessão de garantias à Irlanda deve ser acompanhada de um calendário concreto que indique quando poderá haver outro plebiscito.

A Irlanda, que rejeitou o Tratado em um plebiscito realizado em junho, quer conseguir algumas garantias de que as normas do bloco não entrarão em áreas de grande sensibilidade nacional para os irlandeses, para poder realizar um segundo plebiscito com possibilidades de vitória.

Essas áreas são as leis sobre o aborto, a política fiscal e a neutralidade do país, e a Irlanda também quer manter um membro na Comissão Européia.

No entanto, a questão do comissário recebeu críticas "muito fortes", de um grande número de ministros de Exteriores, entre eles do belga, Karel de Gucht, que falou também em nome da Holanda e de Luxemburgo, acrescentaram as fontes. EFE rcf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG