Promotoria se opõe a pedido de Karadzic de adiar início do julgamento

Bruxelas, 18 set (EFE).- A Promotoria do Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) se opôs hoje à solicitação do ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic de adiar o início de seu julgamento, fixado para 19 de outubro.

EFE |

A acusação acredita que os argumentos de Karadzic para adiar o julgamento são "inadequados", assim como os juízes do tribunal, que considera que o acusado recebeu a "assessoria externa necessária" para sua defesa durante tempo - um ano e meio - que está preso nas dependências do TPII em Haia.

A Promotoria ressaltou, em comunicado, que Karadzic teve acesso a "consideráveis fontes para preparar sua defesa", e ressaltou os "esforços continuados" para ajudar o acusado "a se concentrar nos aspectos mais pertinentes das provas do processo".

A acusação afirmou também que a jurisprudência do tribunal não obriga que a preparação do processado esteja acabada antes do julgamento, nem que seja concedido tempo para examinar profundamente todo o material usado no processo.

Além disso, Karadzic solicitou ao tribunal a revisão de uma decisão que limita seu contato com jornalistas e, em particular, de uma comunicação através de e-mail com o jornal francês "Le Monde".

Em resposta a uma pergunta de uma jornalista desse jornal sobre o papel da força da ONU (Unprofor) durante a guerra da antiga Iugoslávia, o ex-líder servo-bósnio tentou enviar uma mensagem, que foi censurada pelo tribunal.

O órgão encarregado de controlar as comunicações dos processados considerou que seu correio "denegria a Unprofor e a ONU em geral", pelo qual teria conseguido "menosprezar o mandato do tribunal", e decidiu bloqueá-lo, segundo o comunicado do TPII. EFE ahg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG