Promotoria pede 10 anos de prisão para francesa que matou e congelou filhos

Paris, 17 jun (EFE).- A Promotoria pediu hoje dez anos de prisão para Véronique Courjault, a francesa acusada de matar três filhos recém-nascidos e de congelar os corpos de dois deles no freezer da família.

EFE |

Ao pedir a pena durante uma audiência judicial, o promotor Philippe Varin disse que a acusada não deve ser "demonizada", mas também não pode ser transformada num "ícone".

Os advogados da ré confessa, de 41 anos, alegam que ela sofre de um distúrbio mental que a fez negar a gestação dos três filhos. Foi por este motivo que ela escondeu do marido que estava grávida e estrangular as crianças pouco após o parto.

A mulher, mãe de dois adolescentes, está em prisão preventiva há dois anos e meio, quando os corpos de dois dos bebês foram achados no freezer. À época, Courjault vivia em Seul, onde o chefe da família trabalhava para uma companhia americana.

Foi exatamente o marido dela, Jean-Louis, de 42 anos, que, em 23 de julho de 2006, descobriu os corpos dos dois bebês e alertou a Polícia.

Após ser detida, a mulher admitiu três infanticídios. O primeiro foi em 1999, na França. Os outros dois aconteceram em setembro de 2002 e dezembro de 2003, em Seul.

Amanhã, a Justiça francesa deverá apresentar o veredicto do caso.

EFE pi/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG