Promotoria manda prender 7 acusados de planejar morte de Morales

La Paz, 13 jun (EFE).- A Promotoria boliviana emitiu mandados de apreensão contra sete pessoas acusadas de financiar o suposto grupo terrorista desarticulado no país em abril, informaram hoje meios de comunicação locais.

EFE |

O promotor Marcelo Soza, encarregado do caso, explicou que as ordens de detenção foram emitidas na sexta-feira à noite porque os acusados não se apresentaram para depor.

Os mandados de captura são para Juan Carlos Velarde Roca, Eduardo Melgar Pereira, Hugo Antonio Achá Melgar, Luis Hurtado Vaca, Enrique Vargas Pedrazas, Héctor Laguna Paniagua e Lorgio Balcázar.

Em 16 de abril, a Polícia matou em um hotel da região de Santa Cruz, leste, três supostos membros de um grupo terrorista e deteve outros dois, atualmente presos em uma penitenciária de La Paz.

Segundo a Promotoria, o grupo era liderado pelo boliviano-croata-húngaro Eduardo Rozsa, morto pela Polícia nesse dia.

A quadrilha supostamente pretendia organizar milícias separatistas em Santa Cruz e assassinar o presidente Evo Morales.

As sete pessoas contra as quais pesam as ordens de apreensão são acusadas de financiar as atividades do grupo.

A Promotoria baseia a acusação em fotografias que mostram os supostos terroristas contando dinheiro e comunicações em chats obtidos do computador do suposto líder do grupo, que foram mostradas à imprensa.

Os acusados negam as denúncias. EFE gb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG