Bruxelas, 6 ago (EFE) - A Promotoria do Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) recorreu da absolvição do ex-ministro do Interior da Macedônia Ljube Boskoski das acusações de assassinato e maus-tratos de civis albaneses durante o conflito armado de agosto de 2001.

Em sentença emitida no dia 10 de julho, a Corte, com sede em Haia, considerou que não tinha sido comprovada a "responsabilidade de comando" de Boskoski nas datas nas quais foram cometidos os crimes (entre 12 e 15 de agosto de 2001) nem que o acusado tivesse falhado "em tomar as medidas necessárias para puni-los".

Na mesma decisão, os juízes condenaram a 12 anos de prisão o ex-inspetor de Polícia Johan Tarculovski pelos mesmos fatos, após concluir que teve "um papel direto" nos crimes.

No escrito de apelação, a Promotoria afirma que o Tribunal não avaliou corretamente a responsabilidade de Boskoski como superior e ressaltou que este não adotou "as medidas necessárias e razoáveis para castigar seus subordinados".

Com base nesse argumento, pede para revisar a absolvição do ex-ministro por assassinato, destruição gratuita e tratamento cruel e que seja condenado por esses crimes.

Concretamente, ele é acusado dos assassinatos de quatro civis albaneses, da destruição das propriedades de outros 12 albaneses e do tratamento cruel de 13 cidadãos dessa mesma etnia. EFE epn/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.