Promotoria do TPII quer impedir autodefesa de criminoso de guerra

Bruxelas, 8 ago (EFE).- A Promotoria do Tribunal Penal Internacional para Antiga Iugoslávia (TPII) quer impedir o suposto criminoso de guerra sérvio Vojislav Seselj de seguir se defendendo sozinho e solicitou à Corte que ceda a ele um advogado para o resto do julgamento.

EFE |

Em seu pedido, a Promotoria denuncia que Seselj não respeita as regras processuais, o acusa de mau uso deliberado de informação confidencial e de não obedecer às ordens dos juízes.

Segundo a acusação, o réu aproveita seu papel de advogado para intimidar e caluniar as testemunhas e insulta e ataca a integridade do Tribunal.

O acusado "está sempre obstruindo os procedimentos judiciais, tanto dentro como fora da Corte", assinalam os promotores.

A Promotoria recalca que a ameaça de Seselj de fazer greve de fome retira o direito dele de autodefesa.

A acusação também acrescentou que é mais "um exemplo da intenção do acusado de disputar no Tribunal o controle" do julgamento e criar obstáculos para os trâmites.

Seselj, líder ultranacionalista sérvio, é acusado de crimes de guerra e lesa-humanidade - tortura, assassinato e perseguição - supostamente cometidos durante as guerras da Croácia (1991-1995) e da Bósnia (1992-1995). EFE epn/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG