Promotoria deve apresentar acusações contra médico de Michael Jackson

Los Angeles, 3 fev (EFE).- A Promotoria do distrito de Los Angeles pode apresentar hoje acusações de homicídio culposo contra Conrad Murray, o médico particular de Michael Jackson, após meses de investigação, informou o site TMZ.

EFE |

A acusação das autoridades parece iminente, como informou a imprensa local, segundo a qual a ação legal se confirmaria entre hoje e o final desta semana, apesar de nenhum pronunciamento oficial sobre o assunto já ter sido feito.

Murray reconheceu após a morte do 'rei do pop' que tinha dado a ele os medicamentos apontados pelos legistas como os causadores de sua morte.

O médico argumentou que Michael tinha pedido uma série de remédios, entre eles um potente calmante de uso hospitalar chamado propofol, para poder dormir e disse que tomava medicamentos do tipo frequentemente.

Segundo os advogados de Murray, seu cliente colaborou o tempo todo com a Polícia e está disposto a se entregar caso tenha que enfrentar um julgamento por homicídio culposo.

Sendo assim, Murray encararia um processo penal pelo qual poderia ser condenado a até quatro anos de prisão.

Michael Jackson morreu em 25 de junho de 2009 devido a uma "intoxicação aguda" de remédios e sedativos, segundo sua autópsia, que apontou o propofol como agente desencadeante do problema.

Murray garante ter tentado reanimar o cantor e dado a ordem de chamar os serviços de emergência de Los Angeles, que levaram Michael até um hospital da cidade no qual sua morte foi confirmada pouco depois. EFE fmx/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG