Promotoria argentina pede 8 anos de prisão para Menem

Ex-presidente é julgado por coautoria em contrabando e desvio de armas durante seu governo

AFP |

A promotoria argentina pediu uma pena de oito anos de prisão para o ex-presidente Carlos Menem, por coautoria em contrabando e desvio de armas durante seu governo (1989/99), informou nesta quinta-feira uma fonte judicial. O material bélico, algo em torno de 6.500 toneladas, seguiria para Panamá e Venezuela, mas foi desviado à Croácia e Equador, entre 1991 e 1995.

"Menem deu seu aval à venda de armas aos verdadeiros países de destino, com cujos governantes tinha excelente relação", destacou a promotoria. O ex-presidente, 80 anos, que ocupa uma cadeira no Senado, é julgado com ex-ministros, militares reformados e ex-responsáveis de fábricas militares argentinas. Por ocasião da venda, a Croácia estava sob embargo internacional de armas e a Argentina era fiadora da paz no conflito limítrofe entre Peru e Equador.

Como senador, Menem tem prerrogativas que o impedem de ser preso durante o mandato, mesmo diante de uma eventual condenação.

    Leia tudo sobre: ArgentinaJustiçaMenem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG