Promotor-chefe do TPII mostra otimismo cauteloso sobre cooperação da Sérvia

Belgrado, 10 set (EFE).- O promotor-chefe do Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), Serge Brammertz, expressou hoje em Belgrado seu otimismo cauteloso sobre os esforços da Sérvia para capturar Ratko Mladic e Goran Hadzic, criminosos de guerra foragidos da Justiça.

EFE |

"Mladic - o ex-líder militar servo-bósnio - e Hadzic - um antigo líder dos sérvios da Croácia - ainda são o objetivo crucial para nossa plena cooperação", declarou Brammertz em entrevista coletiva em Belgrado.

O promotor iniciou hoje uma visita de dois dias à Sérvia para avaliar as ações de busca dos dois últimos acusados de crimes de guerra que ainda continuam em liberdade.

Já se reuniram com o promotor especial sérvio de crimes de guerra, Vladimir Vukcevic, e com o presidente do Conselho nacional de cooperação com o TPII, Rasim Ljajic, os dois coordenadores de um plano de ação governamental para a busca dos acusados pela corte internacional, com sede em Haia.

Brammertz disse que foi informado de "operações passadas, atividades atuais e planos para o futuro", e elogiou "o profissionalismo e a dedicação" dos membros da equipe sérvia responsável por este plano de ação.

Também anunciou para amanhã seus encontros com o presidente sérvio, Boris Tadic, e com vários ministros do novo Governo, e disse esperar "seu apoio político e logístico para o cumprimento dos assuntos pendentes" na cooperação com o TPII.

Brammertz afirmou que em dezembro apresentará seu relatório regular ao Conselho de Segurança da ONU sobre a cooperação da Sérvia.

Esta é a primeira visita de Brammertz a Belgrado após a formação do novo Governo, no início de julho passado, e depois da captura e extradição para o TPII do ex-líder político servo-bósnio e um dos acusados mais procurados, Radovan Karadzic, que esteve escondido durante quase 13 anos.

Na mesma entrevista coletiva, Ljajic expressou a esperança de Belgrado de que o Conselho de ministros da União Européia (UE), em sua reunião do próximo dia 15, "avalie de forma adequada" o que a Sérvia fez na cooperação com o TPII.

A postura de Brammertz poderá ser crucial para que os países comunitários apliquem a parte comercial do acordo de associação da Sérvia com a UE.

"Temos consciência de nossos compromissos e faremos todo o possível para que os dois foragidos sejam localizados, capturados e extraditados ao Tribunal de Haia", declarou Ljajic.

Também lembrou que dos 46 acusados reivindicados pelo TPII à Sérvia, 44 já foram extraditados.

Além disso, afirmou que a Sérvia livrou todas as testemunhas nos processos realizados pelo TPII da obrigação de guardar segredos estatais e abriu de forma transparente seus arquivos e outra documentação necessária para os juízos diante da corte internacional. EFE sn/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG