Promotor-chefe do TPI acusa presidente do Sudão de crimes de guerra em Darfur

Haia - O promotor-chefe do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno Ocampo, acusou hoje o presidente do Sudão, Omar al-Bashir, de crimes de guerra, de lesa-humanidade e de genocídio em Darfur, onde mais de 300 mil pessoas morreram em cinco anos de conflito.

EFE |

ONU preocupada

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou temer que a acusação contra o presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, tenha "repercussões negativas importantes" na missão de paz em Darfur.

AFP
Em cinco anos de conflito, mais de 300 mil morreram

Antes mesmo da entrega do documento, Ban, em entrevista publicada hoje pelo diário "Le Figaro", afirmou que a influência da acusação se estenderá ao "processo político" de normalização do Sudão.

O procurador do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno Ocampo, solicitou uma ordem de detenção contra Bashir, por genocídio e crimes de lesa-humanidade em relação ao conflito de Darfur.

Em sua entrevista ao jornal, Ban afirmou que apesar da preocupação, "ninguém está isento de um processo judicial".

"A Justiça e a paz deveriam andar de mãos dadas", disse o secretário-geral da ONU, que afirmou que "o processo político no Sudão não pode ser durável sem o respeito dos direitos".

Leia mais sobre: Darfur

    Leia tudo sobre: darfur

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG