Promotor pede julgamento oral de ex-presidente Fernando de la Rúa

Buenos Aires, 14 ago (EFE).- Um promotor pediu hoje para levar a julgamento oral o processo contra o ex-presidente da Argentina Fernando de la Rúa por sua suposta responsabilidade no pagamento de subornos a senadores durante seu Governo para que se aprovasse uma reforma trabalhista, informaram fontes judiciais.

EFE |

A solicitação foi apresentada ao juiz federal Daniel Rafecas pelo promotor Federico Delgado, que acusa De la Rúa do crime de "suborno ativo".

Na semana passada, a Câmara Federal de Apelações de Buenos Aires confirmou o processo contra o ex-líder (1999-2001), decidido pouco antes por Rafecas, que levou a julgamento nove ex-funcionários e antigos legisladores.

Em sua resolução o tribunal considerou que o pagamento de subornos no Senado em 2000 para aprovar uma reforma trabalhista "foi um ato do Governo liderado por Fernando de la Rúa como presidente", que renunciou ao cargo em dezembro de 2001 em meio a uma profunda crise social e econômica no país.

Em novembro de 2007, o então secretário parlamentar Mario Pontaquarto, que revelou o escândalo, confirmou em acareação judicial com De la Rúa que o ex-governante autorizou o pagamento de subornos no valor de US$ 4,3 milhões a senadores para que a lei fosse aprovada.

O ex-presidente disse que não tem medo de ser preso por esta causa e acusou os juízes de "falta de coragem". EFE cw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG