Promotor dos EUA investigará tráfico de órgãos na Guerra do Kosovo

Relatório do Conselho da Europa feito há 8 meses levantou acusação contra atual primeiro ministro do país

BBC Brasil |

selo

A Eulex (Missão da União Europeia para o Estado de Direito no Kosovo, na sigla em inglês) apontou nesta segunda-feira o promotor americano John Clint Williamson como chefe das investigações sobre tráfico de órgãos e outros crimes durante a guerra nos Balcãs, em 1999.

A decisão ocorre oito meses depois que um relatório do Conselho da Europa (organização internacional sobre direitos humanos) acusou o primeiro ministro do Kosovo, Hashim Thaci, de envolvimento indireto com o tráfico de órgãos, no tempo em que ele ainda era um líder rebelde. Thaci nega as acusações.

O relatório do Conselho da Europa também alega envolvimento do líder de Kosovo com o crime organizado. O relatório é fruto de dois anos de investigações, lideradas pelo promotor suíço Dick Marty. Thaci, que era o líder político do Exército de Libertação durante a Guerra do Kosovo, é citado 27 vezes no documento. De acordo com o relatório, os órgãos vendidos ilegalmente eram retirados de prisioneiros de guerra dos kosovares.

A guerra de 1999 opôs Kosovo e Sérvia. As prisões ficavam na fronteira de Kosovo com a Albânia. Após a execução de prisioneiros civis e militares sérvios, seus órgãos eram vendidos no mercado negro, segundo o documento.

Embora Thaci não tenha se envolvido diretamente no tráfico de órgãos, o relator Marty afirma que é "difícil acreditar que ele nunca ouviu nada sobre isso". Em janeiro, a Eulex criou uma comissão para investigar abusos aos direitos humanos em Kosovo. Antes de assumir as investigações no Kosovo, o promotor Williamson, 50 anos, trabalhou como especialista em crimes de guerra no Departamento de Estado americano e nas Nações Unidas.

    Leia tudo sobre: kosovosérviatráfico de órgãos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG