Promotor do TPI pede à Liga Árabe para pressionar Sudão sobre ONGs

Cairo, 29 mar (EFE).- O promotor-chefe do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno Ocampo, pediu hoje à Liga Árabe para pressionar o Sudão para que anule a ordem de expulsão de várias ONGs, anunciada pelo Governo de Cartum em 4 de março.

EFE |

O tribunal mandou deter o presidente do Sudão, Omar al-Bashir, em 4 de março para julgá-lo por crimes de guerra e de lesa-humanidade pelo papel no conflito na região de Darfur, que começou em 2003 e que já deixou 300 mil mortos.

Moreno Ocampo, em entrevista à emissora catariana de televisão "Al Jazira", também qualificou de "opiniões pessoais" as afirmações anteriores do líder líbio e presidente semestral da União Africana (UA), Muammar Kadafi, que qualificou hoje de "novo terrorismo mundial" a ordem de detenção do TPI a Bashir.

No mesmo dia em que a decisão veio a público, o Sudão anunciou a expulsão de 13 ONGs que prestavam assistência à população de Darfur, o que, lembrou hoje Moreno Ocampo, deixou "sem água e sem comida um milhão de pessoas".

O promotor-chefe disse que Darfur vive uma crise humanitária pela saída destas organizações, e fez um apelo à cúpula Árabe que começa nesta segunda-feira em Doha e à qual Bashir assiste para que exija que o presidente sudanês reveja a expulsão das organizações.

Moreno Ocampo ressaltou que a prevenção e o atendimento da população de Darfur devem se transformar em uma "área comum", na qual o TPI e a Liga Árabe podem atuar.

"Minha agenda é deter os crimes onde ocorrem", insistiu Moreno Ocampo. EFE ag/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG