Promotor do caso Mills pede cinco anos de prisão para Berlusconi

Ex-premiê italiano é acusado de pagar advogado para prestar falso testemunho a seu favor em outro julgamento

iG São Paulo |

Um promotor de Milão pediu que o ex-premiê da Itália Silvio Berlusconi seja condenado a cinco anos de prisão pelo caso Mills, no qual é julgado por corrupção.

Berlusconi é acusado de ter pago US$ 600 mil ao advogado britânico David Mills para que prestasse um falso testemunho a seu favor em outros dois julgamentos.

Leia também: Marcado por corrupção e escândalos sexuais, Berlusconi caiu pela economia

O pagamento teria sido feito no final da década de 1990 e ajudado a absolver Berlusconi de acusações ligadas à evasão fiscal. Berlusconi alegou não se lembrar de Mills, um dos muitos advogados que o grupo Fininvest, do qual é dono, possuía no exterior.

Tanto a defesa de Berlusconi quanto Mills disseram que o advogado recebeu o dinheiro do armador italiano Diego Attanasio para enganar o fisco britânico. Durante o julgamento, porém, Attanasio negou a história.

O promotor Fabio de Pasquale disse que a defesa do ex-premiê está baseada em documentos falsos e tentou mostrar que o crime só prescreverá entre maio e julho – a defesa de Berlusconi, porém, afirma que o crime prescreveu em 3 de fevereiro. Agora, o Tribunal de Milão terá de decidir qual a data correta de prescrição. Se aceitar o argumento do promotor, divulgará sua sentença.

Berlusconi renunciou em novembro de 2001, em meio a uma grave crise econômica a Itália. O caso Mills é um dos quatro julgamentos que o ex-premiê enfrenta em Milão, junto ao caso Ruby (no qual é acusado de incitação à prostituição de menores e abuso de poder), o caso Mediaset (fraude fiscal) e o caso Unipol, no qual é acusado de participação na revelação de segredo profissional.

Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: itáliaberlusconicaso mills

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG