Promotor da CPI diz que avalia investigar Israel por crimes de guerra

O promotor da Corte Penal Internacional (CPI), o argentino Luis Moreno Ocampo, revelou que avalia investigar Israel por crimes de guerra pela morte de 1.300 palestinos na Faixa de Gaza, em entrevista publica neste domingo pela revista dominical Perfil de Buenos Aires.

AFP |

"Estamos avaliando o tema, estamos em uma etapa de análise. Ainda não decidi se começo uma investigação, mas há uma possibilidade de que isso ocorra", disse Ocampo, que há quatro dias conseguiu que o tribunal emitisse uma ordem de prisão contra o presidente do Sudão, Omar al Bashir, acusado de crimes de guerra e contra a humanidade em Darfur.

Moreno Ocampo, ex-promotor do histórico julgamento dos comandantes da última ditadura argentina (1976/83), explicou que está analisando as denúncias entregues em janeiro à Corte por Ali Khasan, ministro da Justiça da Autoridade Palestina.

A Autoridade Palestina acusa Israel de ter utilizado fósforo branco em áreas habitadas por civis durante a operação militar contra o grupo radical islâmico Hamas, no início do ano.

"Khasan veio ao meu escritório e disse que era importante investigar os crimes em Gaza", contou Moreno Ocampo.

jos/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG