Promotor acusa Olmert de receber envelopes cheios de dinheiro

Por Jeffrey Heller JERUSALÉM (Reuters) - O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, é suspeito de receber envelopes cheios de dinheiro de um empresário norte-americano, disse um importante promotor na segunda-feira, o que constitui a maior acusação pública contra o premiê.

Reuters |

Olmert negou que tenha feito qualquer coisa de errado, mas este caso pode tirá-lo do poder e arruinar as negociações de paz com os palestinos, mediadas pelos Estados Unidos.

O promotor Moshe Lador disse em uma audiência da Suprema Corte que os investigadores suspeitam que Morris Talansky, empresário de Nova York, tenha dado a Olmert 'dólares, em dinheiro vivo e em envelopes, durante breves encontros periódicos'.

Representantes de Olmert pedem à Suprema Corte que reveja uma decisão de outra esfera da Justiça de ouvir Talansky, que atualmente visita Israel, antes que ele volte aos EUA.

A Suprema Corte ainda não decidiu sobre isso porque, neste estágio inicial, um testemunho de Talansky infringiria o direito de Olmert de ter um julgamento justo, no qual ele seria indiciado antes que qualquer acusação formal seja feita.

Talansky levantou fundos para as duas campanhas de Olmert, em 1993 e 1998, além de uma tentativa do atual premiê de liderar o partido de direita Likud em 1999. O norte-americano também contribuiu com o político em outra eleição interna do partido, em 2002.

A lei israelense proíbe doações políticas cujo total ultrapasse mais do que algumas centenas de dólares.

Segundo a polícia, Olmert deve ser interrogado pela segunda vez nos próximos dias.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG