Projeto filantrópico de Clinton beneficiará 200 milhões de pessoas

Nova York, 3 mai (EFE). - O ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton anunciou nesta sexta-feira, dia 2 de maio, que seu projeto filantrópico Iniciativa Global Clinton (IGC) promoveu desde sua criação, em 2005, cerca de mil compromissos de ações para melhorar a vida de 200 milhões de pessoas em mais de cem países.

EFE |

"Mais de 200 milhões de vidas serão diretamente beneficiadas pelos compromissos contraídos por colaboradores do CGI, incluindo um terço dos chefes de estado de todo o mundo, assim como líderes empresariais, ONGs, acadêmicos e grandes pensadores", disse Clinton em Nova York.

Em um teatro de Manhattan, o ex-presidente relembrou as metas alcançadas pela IGC em seus três anos de atividade e detalhou que, até o momento, participaram 82 antigos e atuais chefes de estado do mundo.

"Conseguimos muito em apenas três anos. É um verdadeiro testemunho do que se pode conseguir quando os setores privado e público põem suas idéias em andamento e destinam seus recursos para onde mais se necessita", assegurou.

Um dos compromissos mais notórios que fazem parte da iniciativa do ex-presidente Clinton é o chamado "Luz para um milhão de vidas", promovido por Rajendra Pachauri, presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU e ganhador do Nobel da Paz 2007 junto com Al Gore.

O projeto consiste em levar luz elétrica a um milhão de pessoas na Índia através da substituição de lâmpadas de querosene e parafina por fontes de energia solar.

"Levar luz elétrica a todos os lares do mundo requereria um investimento de US$ 20 bilhões, uma quantia que pode ser reduzida graças às economias de escala e o investimento em inovação tecnológica", assegurou Pachauri diante do mesmo auditório.

Segundo seus cálculos, "levar luz elétrica a um bilhão de pessoas, 200 mil lares, teria um custo equivalente ao de dois meses da Guerra do Iraque".

John Partridge, diretor de operações da Visa, a maior rede de cartões de crédito do mundo, anunciou um novo compromisso com a IGC, de consiste em proporcionar serviços financeiros básicos a pelo menos dez milhões de pessoas no mundo.

Essa iniciativa, que será feita em parceria com a Oxfam América, é o primeiro programa de responsabilidade corporativa da companhia, que acontece precisamente no mesmo ano em que a Visa começou a ser cotada em bolsa, após a maior oferta pública de venda de ações na história dos Estados Unidos.

Como parte desse programa, a Visa também se compromete em manter os máximos padrões éticos em suas práticas empresariais e a trabalhar com outras organizações humanitárias com experiência no âmbito da assistência a comunidades vulneráveis.

Martín Burt, da Fundação Paraguaia, também informou na sexta-feira, seu compromisso de dar formação empresarial a jovens desfavorecidos de áreas rurais no mundo, para ajudá-los a empreender negócios próprios e combater assim a pobreza de suas comunidades.

Como parte desse compromisso, a Fundação Paraguaia organizou recentemente a primeira Conferência Internacional de Escolas Auto-suficientes, onde 140 pessoas de 20 países buscaram fórmulas criativas para promover esse tipo de formação.

Em dezembro, está prevista uma reunião em Hong Kong com o intuito de que os políticos e as empresas asiáticas também se envolvam na IGC.

Durante seu discurso, o ex-presidente encorajou "todos que desejem se incorporar à iniciativa através de MyCommitment.org, onde qualquer um pode apresentar seu compromisso, sem requerimento de investimento mínimo".

"Só é necessário que proponha uma idéia prática e que a leve adiante. Esta é a essência do projeto e isto é o que pode ajudar a criar um mundo melhor", defendeu Clinton, concretizando que desde seu lançamento em setembro de 2007, pessoas de mais de 180 países se cadastraram via web e se comprometeram com 96.300 horas de serviços voluntários para ajudar os demais. EFE mgl/iw/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG