A Federação Francesa de Tênis (FFT) apresentou nesta quinta-feira o projeto de expansão da área de Roland Garros, em Paris, onde é disputado anualmente o Aberto da França de tênis. O projeto do arquiteto francês Marc Mimram, selecionado entre os 91 que foram apresentados, prevê a construção de um novo estádio futurista que terá 15 mil lugares e teto móvel, para evitar interrupções das partidas em caso de mau tempo.

"A visibilidade do novo estádio é excelente. Todos os lugares permitem ver perfeitamente as partidas", diz o presidente da FFT, Jean Gachassin.

Além do novo estádio, também fazem parte do projeto duas quadras anexas, que terão, no mínimo, entre 750 e 1,5 mil lugares, e uma grande área verde em volta do estádio, que funcionará como um parque aberto ao público fora do período do torneio.

O novo complexo, que será construído a cerca de 450 metros do atual estádio de Roland Garros, terá área útil de 32 mil metros quadrados.

As obras são estimadas em mais de 120 milhões de euros (cerca de R$ 342 milhões), sendo que 20 milhões de euros (aproximadamente R$ 57 milhões) devem ser financiados pela prefeitura de Paris.

Cinco minutos
Atualmente, nenhuma das famosas quadras de saibro de Roland Garros é coberta. A FFT teme que em razão disso Paris perca espaço entre os torneios do chamado Grand Slam.

A concorrência vem aumentando nos últimos anos: o Aberto da Austrália dispõe desde 2001 de quadras cobertas. Wimbledon, na Inglaterra, irá inaugurar o teto móvel de sua quadra central em junho.

Os torneios de Madri e Xangai, que não integram o Grand Slam, também já são realizados em quadras que dispõem de tetos que abrem e fecham.

Conforme o projeto, em Paris serão necessários apenas cinco minutos para cobrir ou abrir o novo estádio de Roland Garros. As arquibancadas da quadra central, assimétricas, serão parcialmente recobertas por um vidro translúcido.

Alguns pontos do projeto ainda precisam ser discutidos com a prefeitura, mas a FFT espera que as obras tenham início no próximo ano e estejam concluídas até 2013.

Capacidade
Além dos problemas meteorológicos, outro fator levou a federação francesa de tênis a querer aumentar a capacidade de seu complexo esportivo, a procura por ingressos.

Anualmente, 100 mil pedidos para assistir ao Torneio de Roland Garros são recusados por falta de lugares, segundo a FFT.

Com 425 mil espectadores em 2008, Roland Garros é o quarto e também último dos torneios do Grand Slam em termos de público, afirma a federação francesa. O US Open, o primeiro deles, teve 720 mil espectadores no ano passado.

Quando foi construído, em 1928, o estádio de Roland Garros possuía uma área de 3,25 hectares e apenas cinco quadras. Hoje, o complexo totaliza 8,5 hectares e 20 quadras.

O Aberto da França deste ano começa em 24 de maio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.