Programas de McCain e Obama sobre as principais preocupações dos americanos

Seguem os programas dos candidatos republicano e democrata à Casa Branca, John McCain e Barack Obama, sobre os principais temas de preocupação dos americanos:

AFP |

ECONOMIA

- Barack Obama promete reduzir os impostos de 95% dos trabalhadores americanos e cobrar mais das pessoas que ganham acima de 250.000 dólares por ano. Ele propõe uma redução fiscal anual de 500 dólares por trabalhador e de 1.000 dólares por família. Ele quer suprimir os impostos para os idosos que vivem com menos de 50.000 dólares por ano. Ao contrário, Obama pretende elevar o imposto sobre a renda do capital de 15% para 28% das companhias de petróleo e cobrar impostos sobre seus lucros excepcionais, para assim reduzir a conta de energia dos contribuintes. Ele também deseja liberar uma verba de 50 bilhões de dólares para grandes obras de infra-estruturas.

- John McCain promete manter as reduções de impostos aprovadas durante o governo Bush, que expiram no fim de 2010, e baixar de 35% para 25% o imposto às empresas. Ele promete diminuir os gastos federais de interesse puramente locais, e propõe o congelamento por um ano das despesas federais que não sejam militares. Ele quer utilizar 300 dos 700 bilhões de dólares do plano de resgate das instituições financeiras para recomprar créditos hipotecários frágeis e substituí-los por créditos a juros fixos.

IRAQUE

- Barack Obama promete acabar com o conflito "de forma responsável" em 16 meses. Oposto a bases permanentes, ele está disposto a enviar tropas em caso de catástrofe ou genocídio.

- John McCain pensa que os Estados Unidos "estão ganhando a guerra". Ele se disse disposto a manter tropas no país "durante cem anos", no modelo das bases americanas na Alemanha, no Japão ou na Coréia do Sul.

IRÃ

- Obama é a favor de um diálogo com o Irã "desde que possa contribuir para os interesses dos Estados Unidos". Tal diálogo teria que começar em um nível baixo. Ele defende sanções internacionais para obrigar o Irã a ser mais transparente sobre seu programa nuclear.

- McCain proclama que "a única coisa pior que uma ação militar é um Irã nuclear". Contrário à abertura de um diálogo, ele quer reforçar as sanções internacionais, inclusive fora da ONU.

ORIENTE MÉDIO E ISRAEL

- Para Obama, o compromisso dos Estados Unidos em relação a Israel "não é negociável". Oposto à política de colonização nos territórios palestinos e favorável à criação de um Estado palestino, ele defende o isolamento do Hamas e do Hezbollah enquanto estes movimentos não tiverem renunciado ao terrorismo e reconhecido o direito à existência de Israel.

- Grande defensor da ajuda militar a Israel, McCain se apresenta como o "pior inimigo" do Hamas.

ENERGIA

- Obama é favorável a uma limitação das emissões de gás carbônico e à instalação de um mercado dos direitos de poluição. Ele defende uma redução em 80% das emissões de CO2 daqui a 2050, e quer investir 150 bilhões de dólares em dez anos nas tecnologias de energia limpa. Ele passou a aceitar a exploração de petróleo no mar.

- McCain também defende a limitação das emissões de gás carbônico e a instalação de um mercado dos direitos de poluir. Ele estuda uma redução em dois terços das emissões de CO2 até 2050. Favorável à suspensão da moratória sobre a exploração petroleira no mar, ele defende a construção de novas centrais nucleares.

COMÉRCIO INTERNACIONAL

- Obama propôs renegociar o Acordo de livre-comércio norte-americano (NAFTA) com o Canadá e o México. Ele quer que todos os tratados de livre-comércio contenham garantias sobre as condições de trabalho e o meio ambiente, e deseja suprimir as isenções fiscais às empresas americanas que transferem suas atividades para o exterior.

- McCain apóia o NAFTA e considera o livre-comércio como uma importante ferramenta da política externa dos Estados Unidos.

aje/yw-lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG