Programa Mundial de Alimentos anuncia plano de ajuda para o Haiti

Porto Príncipe - O diretor regional do Programa Mundial de Alimentos (PMA), Pedro Medrano, anunciou hoje em Porto Príncipe um plano para enfrentar a pobreza e a falta de comida que afetam as populações mais abandonadas do Haiti.

EFE |

Clique na imagem e veja o infográfico sobre a crise dos alimentos

A execução deste plano precisará de 50 mil toneladas de comida para os próximos oito meses e custará US$ 54 milhões, adiantou Medrano em entrevista coletiva, antes de deixar o Haiti após uma visita de quatro dias.

O funcionário assegurou que o PMA se viu obrigado a "dobrar" sua assistência ao país caribenho, que conseguiu até agora chegar a dois milhões de pessoas.

Medrano considerou que a ajuda é "uma contribuição essencial para erradicar a desnutrição, manter a segurança alimentar e proteger as povoações mais vulneráveis".

O diretor regional do PMA observou que, apesar de "progressos enormes (do Haiti) em matéria econômica, a desnutrição e a pobreza não foram eliminadas".

No início deste mês, o Haiti foi afetado por violentos protestos que causaram seis mortos, dezenas de feridos e incalculáveis danos a propriedades públicas e privadas.

"Se não consideramos seriamente esta crise nos arriscamos a perder o que cumprimos até agora", advertiu Medrano.

O funcionário, acompanhado do representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Joel Boutroue, fez um chamado a um "verdadeiro relançamento da produção agrícola" e ao "aumento das atividades com alta intensidade de mão-de-obra".

Leia mais sobre:  crise dos alimentos

    Leia tudo sobre: crise dos alimentoshaiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG