Programa de Bush contra terrorismo ia além de escutas, segundo novo relatório

Washington, 11 jul (EFE).- Os esforços do Governo de George W.

EFE |

Bush para impedir um novo atentado terrorista em solo americano, após os ataques dos dia 11 de setembro de 2001, iam muito além do polêmico programa de escutas sem ordem judicial, segundo um novo relatório.

No documento, de 43 páginas, uma equipe de cinco inspetores gerais concluíram que o ex-presidente projetou um extenso programa de atividades de inteligência secretas, com poderes "sem precedentes" em matéria de espionagem, de acordo com o texto divulgado hoje pela imprensa americana.

No período anterior aos atentados, a chamada "Lei de Supervisão de Dados de Inteligência sobre Estrangeiros (Fisa)", de 1978, foi vista como a principal ferramenta das autoridades americanas para interceptar comunicações em prol da segurança nacional.

Nos dias seguintes aos ataques, a Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) se baseou nesta lei para reunir informação de inteligência sobre os atentados.

Nessa data, o então diretor da Central de Inteligência Americana (CIA), George Tenet, perguntou ao diretor da NSA, Michael Hayden, se a agência podia fazer mais contra o terrorismo. Hyden respondeu que as competências de espionagem da CIA não podiam ser excedidas.

Pouco depois, Bush autorizou novas atividades altamente classificadas à NSA, em um decreto presidencial.

Em 2005, o Governo autorizou interceptações de comunicações internacionais sem ordem judicial, quando houvesse uma "base razoável" para concluir que alguma pessoa fosse membro da Al Qaeda, filiado à organização ou um membro de alguma outra ligada ao grupo terrorista.

O programa foi conhecido como "Programa de Vigilância de Terroristas", que, somado as outras atividades não desqualificadas, gerou o "Programa de Vigilância do Presidente".

O ex-presidente Bush ordenou que as atividades fossem mantidas em segredo. EFE cai/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG