Programa de alimentação da ONU elogia interesse do G8 em segurança alimentar

Roma, 7 jul (EFE).- O Programa Mundial de Alimentação (PMA) das Nações Unidas elogiou o interesse mostrado pelo Grupo dos Oito (G8, sete países mais desenvolvidos, mais a Rússia) na segurança alimentar, assunto que será abordado na cúpula de chefes de Estado e de Governo, que começa amanhã na cidade italiana de LAquila.

EFE |

As declarações foram feitas pela diretora-executiva da agência especializada da ONU, Josette Sheeran, em comunicado de imprensa divulgado hoje em Roma, na véspera da cúpula do G8, realizada até a próxima sexta-feira em L'Aquila, dia no qual a segurança alimentar será o principal tema de debate.

"Aprendemos a lição no ano passado, quando o aumento dos preços da alimentação causou uma epidemia de fome que motivou revoltas alimentícias em mais de 30 países. Sem comida, o povo se rebela, emigra ou morre. Nenhuma destas são opções aceitáveis", afirma Sheeran.

O PMA lembrou os dados divulgados há duas semanas pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), que denunciavam que 1,02 bilhões de pessoas no mundo, ou seja, um a cada seis habitantes do planeta, passa fome.

O programa afirmou, além disso, que os abastecimentos de ajuda alimentícia reduziram 35%, desde 1995 e 18%, desde 2005.

"Não podemos permitir a perda de uma geração pela desnutrição, a fome e o desespero", afirmou a diretora-executiva do PMA.

"Diminuir as necessidades imediatas em termos de fome é um investimento necessário em longo prazo, para conseguir sociedades estáveis e com boa saúde", acrescentou.

O PMA lembra que seus programas dependem de doações voluntárias e que, nos primeiros seis meses deste ano, arrecadaram somente um quarto de seu orçamento de US$ 6,4 bilhões para 2009. EFE mcs/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG