Uma equipe da BBC, do programa sobre geologia How the Earth Made Us (Como a Terra nos moldou, em tradução livre) se tornou uma das poucas do mundo a conseguir mostrar a Caverna dos Cristais, ou Caverna Naica, no México. A caverna foi descoberta em 2000, por acidente, quando mineradores das minas de prata de Naica, no norte do México, conseguiram atravessar uma das paredes da caverna e ficaram surpresos ao descobrir cristais enormes, que depois se revelaram os maiores cristais naturais já encontrados no mundo.

A câmara subterrânea tem algumas estruturas facetadas de selenita que chegam a mais de dez metros de extensão.

A equipe do programa da BBC foi liderada pelo professor de geologia da Universidade de Plymouth, Grã-Bretanha, Iain Stewart.

"É um lugar glorioso, parece uma exposição de arte moderna", afirmou o professor.

No entanto, segundo Stewart, para os responsáveis pelas minas de Naica, a Caverna dos Cristais tem importância secundária, é apenas um passatempo.

"Eles não ganham nenhum dinheiro (com a caverna) e, cedo ou tarde, quando a situação financeira das minas mudar, será fechada", disse o professor. "As bombas de água serão retiradas e a caverna será inundada, e os cristais, mais uma vez, ficarão fora de nosso alcance."
Condições extremas
Quando os primeiros exploradores entraram na caverna, eles foram quase vencidos pelas condições dentro dentro do local, saindo de lá quase inconscientes. A temperatura chega aos 50 graus centígrados e a umidade é de 100%.

"A combinação significa que, quando você inala o ar, a superfície de seus pulmões é, na verdade, a superfície mais fria que o ar encontra. Isto significa que os fluidos começam a condensar dentro dos pulmões - e isto não é uma boa notícia", afirmou o professor.

A equipe da BBC precisou usar uma espécie de roupa refrigeradora, que é parecida com um casaco com um compartimento para a colocação de cubos de gelo. E também uma máscara ligada a um sistema que fornecia ar fresco e seco para a equipe.

"Tudo bem tirar a máscara por um tempo, mas se você ficar sem ela por cerca de dez minutos é provável que comece a passar mal", disse Stewart.

Mais cristais
Stewart lembra que poucos geólogos tiveram a chance de chegar até a caverna.

"Eu ficava me lembrando toda hora: 'Você está na Caverna de Naica', pois apenas um punhado de geólogos teve a chance de chegar até lá, então eu sabia do privilégio que desfrutava", afirmou.

Apesar da perspectiva de fechamento da Caverna dos Cristais, o geólogo afirma que um consolo para os estudiosos é que talvez existam muitas outras cavernas como a de Naica que ainda precisam ser descobertas.

"Para começar, a geologia em volta da caverna sugere que podem existir mais cavernas de cristais na região em volta de Naica", afirmou. "Mas, de uma forma mais ampla, a crosta da Terra deve ter mais maravilhas como esta."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.