Progesterona beneficiaria pacientes com traumatismo craniano

Redação Central, 30 abr (EFE) - Um dos principais componentes da pílula anticoncepcional, a progesterona, pode contribuir para a recuperação a longo prazo de pacientes com traumatismo craniano grave, segundo um estudo realizado por cientistas chineses. Os pesquisadores de duas universidades de Hangzhou, sob a supervisão do professor Weiqi Yan, demonstraram que este hormônio feminino pode melhorar o estado neurológico destes pacientes em um prazo de até seis meses, afirma o estudo publicado hoje no portal britânico Biomed Central. O traumatismo craniano grave, causado principalmente por acidentes de trânsito, quedas e lesões esportivas, é uma dos principais motivos de incapacidade e morte. Os cientistas estudaram um grupo de 159 pacientes com lesões cerebrais traumáticas em um mesmo hospital e os dividiram em dois grupos, a um dos quais foi fornecida a progesterona e ao outro um placebo nos cinco dias posteriores à lesão. Aos três e aos seis meses, um número significativamente maior de pacientes tratados com progesterona mostrou uma evolução positiva (uma boa recuperação ou uma incapacidade moderada), segundo o estudo. A progesterona também se relacionou com uma taxa maior de sobrevivência aos seis meses, enquanto não foram observada complicações ou reações adversas nos pacientes que receberam este hormônio. Encontramos provas animadoras de que a progesterona pode melhorar de forma significativa aos seis meses a evolução neurológica dos pacientes...

EFE |

Segundo o cientista, estes resultados servirão para realizar novos testes clínicos sobre a progesterona como "promissor medicamento neuroprotetor". EFE ik/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG