Professores começam greve e protestos contra Morales na Bolívia

La Paz, 30 abr (EFE).- Os professores públicos da Bolívia começaram hoje uma greve para aumentar a pressão contra o presidente Evo Morales pelo reajuste salarial superior aos 5% oferecido neste ano.

EFE |

La Paz, 30 abr (EFE).- Os professores públicos da Bolívia começaram hoje uma greve para aumentar a pressão contra o presidente Evo Morales pelo reajuste salarial superior aos 5% oferecido neste ano. Um dos dirigentes dos professores de La Paz, José Luis Álvarez, confirmou à imprensa o início da greve de 24 horas contra o ex-sindicalista Morales, que está hoje em Caracas para assinar acordos de cooperação com seu colega venezuelano, Hugo Chávez. Além dos professores, outros setores anunciaram para esta sexta-feira manifestações contrárias ao Governo, como os trabalhadores da saúde, os policiais e os operários das fábricas. Em todo o país, há estradas interrompidas. Além dos protestos por salário, nesta sexta-feira há um bloqueio da estrada entre La Paz e a zona produtora da Amazônia, onde um grupo camponês reivindica uma planta para processar cítricos, outro corte de estrada no planalto e problemas na fronteira com o Brasil. EFE ja/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG