Uma professora universitária norte-americana, figura eminente do feminismo muçulmano, dirigiu pela primeira vez as orações e pronunciou o sermão de sexta-feira diante de um público misto de fiéis britânicos em Oxford, centro da Inglaterra, segundo os organizadores.

Amina Wadud, convertida ao Islã há mais de 30 anos, falou para 15 fiéis, homens e mulheres, em um local de oração do centro Oxfordshire Masonic.

"Nada no Corão nem nas hadith (palavras do profeta Maomé), me proíbe fazê-lo. O mesmo Profeta o fez em sua época: nomeou uma mulher para conduzir uma oração diante de homens e mulheres reunidos", declarou Amina Wadud ao jornal The Guardian, em sua edição de sábado.

"Isto não é um movimento, é simplesmente uma realidade. Isto faz parte da tradição viva do Islã. O Islã não está morto. É importante que as mulheres britânicas assumam responsabilidades e aceitem a possibilidade de dirigir as orações", acrescentou.

Amina Wadud, 56 anos, professora da Universidade da Commonwealth de Virgínia, nos Estados Unidos, recebeu ameaças de morte quando em 2005, em Nova York, dirigiu orações. Poucas mulheres assistiram ao seu sermão de sexta-feira em Oxford.

Ela abriu uma conferência de dois dias dedicada ao Islã e ao feminismo, organizada pelo Centro de Estudos Muçulmanos de Oxford.

bur/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.