Professor que abusou sexualmente de 39 meninas é executado na China

PEQUIM - Um professor que durante 18 anos abusou sexualmente de até 39 de suas alunas na localidade de Pingliang, na província noroeste chinesa de Gansu, foi executado, informou a agência oficial Xinhua.

EFE |

Luo Yanlin, de 48 anos, tinha sido condenado à morte em 4 de julho de 2007 pelo Tribunal Popular de Pingliang, mas devido às diversas apelações apresentadas pela defesa, a execução não aconteceu antes de 10 de setembro, data do Dia do Professor na China.

Para abusar de suas alunas, Luo usava como desculpa que daria "aulas extras" e precisava recolher "tarefas de casa", o que lhe dava a oportunidade de ficar a sós com suas vítimas.

Alguns pais suspeitavam dos crimes do professor, que lecionou em três escolas diferentes, mas não se atreveram a denunciá-lo por temor à rejeição social, indicou a "Xinhua".

No dia 14 de agosto de 2006, uma estudante universitária que foi estuprada dez vezes por Luo entre 1997 e 1998, quando era sua aluna, decidiu denunciar o caso à Polícia.

Leia mais sobre: abuso sexual

    Leia tudo sobre: abuso sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG