Professor belga admite que pode ter matado 15 pessoas

(Acrescenta mais detalhes sobre número de possíveis vítimas do detido). Bruxelas, 12 jan (EFE).- Ronald Janssen, um professor de ensino médio de 38 anos e autor confesso de três assassinatos cometidos nos últimos dois anos, confessou à Polícia que é um assassino em série e que pode ter matado até 15 pessoas.

EFE |

Em depoimento à Polícia, Janssen deixou transparecer que, desde 1990, teria cometido entre dez e 15 assassinatos, alguns com motivação sexual, além de crimes como roubo ou estupro, segundo informações divulgadas hoje pela imprensa belga.

A idade de suas vítimas oscilaria entre 15 e 28 anos, segundo o próprio detido.

A Polícia está fazendo com que Janssen confesse usando um método de interrogatório que consiste em elogiar suas capacidades para que se sinta orgulhoso de seus atos e queira contá-los, segundo veículos de imprensa belgas.

As autoridades estão preparando a reabertura de inúmeros casos de assassinato, embora o promotor do distrito de Hasselt, Marc Ruben, tenha declarado à rede de televisão "RTL" que nenhum foi reaberto até agora.

Nos últimos dias, Janssen confessou a autoria de três assassinatos. Os dois últimos ocorreram na cidade de Halen em 1º de janeiro, quando matou a tiros sua vizinha, Shana Appeltans, de 18 anos, e o namorado da garota, Kevin Paulus, de 20, sobre quem disse em um depoimento policial que "o incomodava".

Interrogado também sobre a morte de Annick Van Uytsel, de 18 anos, cujo corpo foi encontrado em 2007 em um córrego dentro de uma sacola plástica, o professor confessou tê-la matado após escolhê-la "ao acaso".

Na noite do desaparecimento de Van Uytsel, Janssen teria obrigado a garota a entrar em sua caminhonete, inclusive com sua bicicleta, ameaçando-a com uma arma. Depois, disse que a levou ao porão de casa, onde a reteve por várias horas antes de assassiná-la.

Alguns amigos de Van Uytsel deram pistas sobre Janssen após informar que o professor tinha comparecido a uma festa da vítima.

No entanto, o interrogatório de Janssen não ofereceu pistas à Polícia, que mesmo assim suspeitou abertamente dele após o duplo assassinato de 1º de janeiro, já que Appeltans era sua vizinha. Sua confissão veio com o interrogatório.

Tanto a Procuradoria de Hasselt como a de Bruges convidaram possíveis vítimas, testemunhas e companheiros do assassino a se dirigirem à Polícia para investigar o envolvimento de Janssen em outros possíveis crimes.

Por enquanto, a Polícia investiga sua possível participação no assassinato de Ingrid Caeckaert, de 26 anos, apunhalada em 1991 em Heist-aan-Zee; e no de Carola Titze, uma jovem alemã de 16 anos, cujo corpo foi encontrado em 1996 na Bélgica.

Janssen é divorciado, pai de duas meninas de 11 e 8 anos e considerado pelos colegas e alunos como um bom professor de desenho industrial, trabalho que desempenha em um centro educativo de Loksbergen (nordeste da Bélgica).

O assassino em série confesso está sob vigilância permanente diante da possibilidade de que tente cometer suicídio. EFE rcf-lmi/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG