Professor americano é morto a tiros no Iêmen

Segundo polícia, grupo ligado à rede Al-Qaeda está por trás da morte de vice-diretor de escola de idiomas

iG São Paulo |

Um professor americano foi morto a tiros na cidade iemenita de Taiz, na manhã deste domingo, mesmo dia em que um avião bombardeou a cidade de Jaar, forçando muitos a deixar suas casas.

Insurgência: EUA bombardeiam depósitos de armas da Al-Qaeda no Iêmen

Um homem armado em uma motocicleta conduzida por um cúmplice disparou contra o professor de inglês e vice-diretor da escola de idiomas Swedish Institute (Instituto Sueco), segundo uma fonte da polícia. O professor estava dirigindo no momento em que foi atingido.

AP
Veículo que pertencia ao professor americano morto em Taiz, no Iêmen
Os atiradores, que escaparam após o ataque, seriam militantes ligados à Al-Qaeda, segundo uma fonte da polícia iemenita.

Na quarta-feira, uma suíça, que também seria professora da escola sueca, foi sequestrada na cidade litorânea de Hodeidah.

Política

A violência se intensificou no Iêmen desde a posse do presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi, no mês passado, que prometeu lutar contra a rede militante.

A cidade de Taiz, a 200 km ao sul de Sanaa, é um centro comercial onde vivem muitos estrangeiros. O local foi palco de intensos protestos contra o ex-presidente Ali Abdullah Saleh , que ficou 33 anos no poder.

Reformas: Manifestantes querem mudança e unidade em força militar do Iêmen

Também neste domingo, um avião de guerra do governo bombardeou militantes islâmicos em Jaar, forçando moradores a deixar suas casas. Não houve relatos imediatos de vítimas.

O grupo Ansar al-Sharia, ligado à Al-Qaeda do Magreb Islâmico, dominou a cidade de Jaar, na província de Abyan, em março do ano passado, após a eclosão de protestos contra Saleh e transformaram-na em sua base principal no sul do Iêmen.

*Com Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: iêmensalehal-qaedaprofessor dos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG