Buscas foram lançadas com o apoio da polícia colombiana para prender os representantes da guerrilha das Farc na Europa e na Austrália, segundo a edição deste domingo do jornal El Tiempo, de Bogotá.

As autoridades européias e australianas estão se esforçando para encontrar os membros da "legião estrangeira" das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), depois da detenção da representante da guerrilha marxista na Espanha.

Suspeita de ter arrecadado fundos para a guerrilha e de ter fornecido um apoio logístico a vários dirigentes da organização, Maria Remedios Garcia Albert, 57 anos, foi detida na Espanha, e libertada no fim de julho.

Quatro espanhóis, dois italianos, um dinamarquês e um australiano estariam sendo procurados pelos investigadores, segundo o jornal colombiano. Eles foram identificados graças às informações encontradas no computador do número dois das Farc, Raúl Reyes, morto em março passado durante uma operação militar colombiana.

O suspeito dinamarquês teria permitido o estabelecimento na Suécia da agência de notícias Anncol, utilizada pela guerrilha para divulgar suas mensagens.

Na Itália, a polícia também teria identificado o suposto representante das Farc, afirmou o jornal, destacando que a Interpol foi acionada para encontrar o suspeito australiano.

pro/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.