Procuradoria solicitará ao Reino Unido a extradição do ex-premiê tailandês

BANGCOC - A Procuradoria Geral da Tailândia pedirá ao Reino Unido a extradição do ex-líder Thaksin Shinawatra, condenado hoje a dois anos de prisão por um crime de abuso de poder cometido durante seu mandato, disseram fontes oficiais.

EFE |

O diretor do Departamento de Litígios Especiais, Seksan Bangsombun, disse, em entrevista coletiva, que a Procuradoria transferirá às autoridades britânicas a solicitação de extradição e uma cópia da sentença traduzida para o inglês.

"Os procuradores farão em breve uma cópia da sentença e a enviarão ao Reino Unido para que extraditem (Shinawatra) rapidamente", disse o funcionário do Ministério da Justiça tailandês.

Bangsombun disse que a Procuradoria criou uma comissão formada por funcionários, que ficará exclusivamente responsável de tramitar com as autoridades britânicas a extradição de Shinawatra, deposto em setembro de 2006 através de um golpe de Estado cometido pelos militares.

A Corte Suprema declarou a Shinawatra, exilado no Reino Unido e que tem seis ordens de detenção contra ele, culpado de abusar de sua autoridade para que a esposa, Pojaman, adquirisse em 2003 um terreno estatal situado no centro de Bangcoc.

Shinawatra e sua esposa se exilaram em agosto na capital britânica, depois de violar a liberdade provisória e aproveitando uma autorização do tribunal para deixar a Tailândia com o propósito de assistir aos Jogos Olímpicos de Pequim.

    Leia tudo sobre: tailândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG