Procuradoria receberá ata judicial sobre crimes passados de Josef Fritzl

Viena, 2 mai (EFE).- Um ata judicial sobre Josef Fritzl dos anos 60, que veio à tona estes dias, será entregue à Procuradoria de Sankt Pölten, encarregada de investigar o pior caso de abuso e incesto conhecido na Áustria, confirmou hoje o porta-voz do órgão judicial, Gerhard Sedlacek, à agência APA.

EFE |

A declaração do porta-voz aconteceu depois que o jornal regional "Oberösterreichischen Nachrichten" ("OÖN") revelou hoje a existência de um ata de 1967, assim como outros documentos, que seriam sobre crimes sexuais cometidos por Josef Fritzl.

No entanto, Sedlacek não fez nenhum comentário sobre o conteúdo do dossiê, e disse apenas que o documento será "estudado com precisão".

O porta-voz lembrou que, se forem atos penais passados, estes entrariam na lei de prescrição. Nesse caso, a Procuradoria não pode revelar nada sobre eles.

O "OÖN" também afirmou que há uma ata judicial sobre um estupro cometido por Josef Fritzl contra uma mulher da cidade de Linz, capital do estado federado da Alta Áustria, em outubro de 1967, a quem o jornal entrevistou na terça-feira passada.

Além disso, naquela época, Josef Fritzl, atualmente com 73 anos e em prisão preventiva por ter trancado a filha e abusado sexualmente dela durante 24 anos, já era "um conhecido da Polícia" por outras agressões sexuais, como uma tentativa de estupro e um ato de exibicionismo, afirmou o jornal. EFE wr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG