Procuradoria quer confiscar bens da esposa de Madoff

A procuradoria de Nova York anunciou nesta segunda-feira que solicitará o confisco dos bens da esposa do financista Bernard Madoff, processado por uma fraude de mais de 50 bilhões de dólares.

AFP |

Segundo um documento enviado à corte federal de Nova York que julga o caso, os procuradores informaram que pedirão a apreensão de uma série de bens do investidor, incluindo iates e automóveis de luxo.

Também serão confiscadas propriedades de Madoff no sul da França e na Flórida. No entanto, muitos bens estavam no nome da esposa, Ruth Madoff, que até o momento não foi indiciada pela fraude.

A lista inclui uma conta em nome de Ruth Madoff com bônus municipais superiores a 45 milhões de dólares e o valor total dos bens listados em seu nome, agora também na mira dos produradores, supera US$ 60 milhões.

Madoff, 70 anos, se declarou culpado na quinta-feira passada de 11 acusações por uma fraude em esquema de pirâmide que afetou instituições de caridade, personalidades milionárias, universidades e bancos, que desejam recuperar ao menos parte do dinheiro.

De acordo com documentos transmitidos à corte, o financista tinha uma vida luxuosa ao lado da mulher e o valor dos bens do casal era de 823 milhões de dólares.

O casal tinha imóveis avaliados em US$ 22 milhões de dólares no fim de 2008, incluindo o apartamento de Manhattan (sete milhões de dólares), uma residência de um milhão de dólares em Cap d'Antibes (sul da França), outra no estado de Nova York e uma masnão de 11 milhões em Palm Beach (Flórida).

A lista revela ainda que Madoff tinha 10 milhões de dólares em móveis e obras de arte, além de um iate de US$ sete milhões no sul da França.

O casal Madoff também era dono de joias avaliadas em 2,6 milhões de dólares, um piano Steinway (39.000 dólares) e US$ 65.000 em peças de prata no apartamento de Nova York.

ltl/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG