Procuradoria francesa fecha investigação de caso de suposta eutanásia

Paris, 23 mar (EFE).- A Procuradoria de Dijon, na França, anunciou hoje o fechamento da investigação aberta por provocação ao suicídio após a morte de Chantal Sébire, uma mulher que tinha uma doença rara e incurável, e que apareceu morta em 2008, depois de ter pedido, sem sucesso, a aplicação da eutanásia.

EFE |

O Ministério Público tinha aberto, em junho do ano passado, uma investigação após a morte da mulher, que reacendeu na França o debate sobre a legalização da eutanásia.

Com o rosto deformado por uma doença que provocava "dores atrozes", segundo ela relatou, Sébire, uma ex-professora de 52 anos, pediu aos tribunais para que recebesse a eutanásia.

Dias depois que a Justiça negou o pedido, Sébire apareceu morta em seu domicílio, após ter consumido barbitúricos.

A Procuradoria abriu uma investigação para tentar determinar se alguém a ajudou a se matar, mas as investigações não deram nenhum resultado.

O caso de Sébire levou o Governo francês a impulsionar uma revisão sobre a lei do final da vida para adaptá-la a casos como o desta paciente. EFE lmpg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG