Procuradoria do Equador quer originais de diários de rebelde das Farc

Quito, 31 jul (EFE).- A Procuradoria do Equador anunciou hoje que pedirá ao responsável de inteligência das Forças Armadas que envie os documentos originais dos supostos diários do guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Raúl Reyes, morto em um bombardeio colombiano a território equatoriano.

EFE |

Em comunicado, a entidade informou que o pedido se insere no processo de indagação prévia iniciado pelo procurador-geral subrrogante, Alfredo Alvear, sobre o conteúdo do diário, uma vez que o Governo colocou à sua disposição uma cópia dos documentos.

"A Procuradoria solicitará ao chefe de Inteligência das Forças Armadas do Equador (que) remeta os originais dos supostos cadernos de Raúl Reyes", além de receber "a versão do ministro de Governo (Interior), Gustavo Jalkh, e de todas as pessoas que conhecem o fato investigado".

Na quarta-feira, em entrevista coletiva conjunta, Jalkh e o chanceler, Fander Falconí, tornaram público o documento, atribuído a Raúl Reyes, ao qual não outorgaram nem "veracidade nem falsidade" e anunciaram que ele tinha sido entregue à Procuradoria para sua investigação.

No documento, Luis Edgar Devia, apelido de Raúl Reyes, acusa o ex-ministro Gustavo Larrea, o ex-subsecretário José Ignacio Chauvin e o coronel aposentado Jorge Brito de traficar drogas e de tê-lo "traído".

Eles são chamados de "agentes duplos" e afirma-se que "se movimentam com os cartéis mexicanos da droga".

Estes "colaboram com a CIA", a agência central de inteligência dos Estados Unidos, e, por isso, "para eles eu sou o verdadeiro alvo e entregar-me será seu maior negócio", afirma o documento atribuído a Reyes. EFE ic/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG