Procuradoria do Egito acusa membro de partido de Mubarak de assassinato

Cairo, 2 set (EFE).- A Procuradoria Geral egípcia acusou hoje um magnata e líder do Partido Nacional Democrático (PND) - do presidente Hosni Mubarak - de estar envolvido no assassinato de uma cantora libanesa.

EFE |

Segundo fontes judiciais, o empresário da construção Hisham Talaat Mustafa foi detido para ser julgado junto com outra pessoa, um engenheiro identificado como Mohammed Mohsen al-Sukari, em relação ao assassinato em julho passado da cantora Suzanne At-Ta'mim, em Dubai (Emirados Árabes).

O procurador-geral egípcio, Abdel Meguid Mahmoud, também proibiu os acusados de viajarem para fora do país, informam as fontes.

O corpo de At-Ta'mim foi encontrado degolado em 28 de julho em seu apartamento em Dubai, em um caso que chamou imediatamente a atenção da imprensa dos países árabes.

A Procuradoria Geral egípcia proibiu a publicação de qualquer tipo de informação sobre o assassinato após parte da imprensa árabe divulgar a possível relação de Mustafa com o assassinato.

Mustafa, de 49 anos, é também membro na Câmara Alta do Parlamento (Shura) e uma das pessoas próximas ao filho do presidente Mubarak, Gamal, secretário-geral do comitê político do PND, do qual Mustafa também faz parte.

Além disso, é proprietário de uma das construtoras egípcias mais importantes do país. EFE nq/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG