Procuradoria de N.York quer congelar ativos da esposa de Madoff

Nova York, 16 mar (EFE).- A Procuradoria federal de Nova York pretende congelar todos os ativos em nome de Ruth Madoff, esposa de Bernard Madoff, o responsável por um dos maiores esquemas de fraude financeira da história.

EFE |

Apesar de Ruth Madoff não ser alvo de nenhuma acusação formal, imóveis, carros, iates e contas bancárias em seu nome podem ser bloqueados diante do receio de que ela dê fim a um patrimônio que soma mais de US$ 90 milhões, de acordo com um documento de três páginas entregue ao Tribunal Federal de Manhattan em 15 de março.

Pouco depois de Bernard Madoff ser detido, descobriu-se que Ruth enviou diferentes objetos de valor a parentes e amigos no valor de mais de US$ 1 milhão.

Entre os diversos bens do casal se destacam um imóvel na Riviera francesa e a residência deles em Nova York, uma casa avaliada em US$ 7 milhões na qual Bernard Madoff passou os últimos três meses em prisão domiciliar.

Além disso, os procuradores reivindicam o congelamento de US$ 17 milhões existentes em uma conta do banco Wachovia em nome da esposa do especulador financeiro.

Também estão sob a mira das autoridades as posses do casal na empresa Cohmand Securities, companhia que está sob investigação e da qual Ruth Madoff retirou US$ 15,5 milhões dias antes da prisão de seu marido.

Bernard Madoff foi detido no dia 11 de dezembro de 2008, quando confessou ter montado uma fraudulenta estrutura financeira, uma das maiores de que se tem notícia.

No último dia 12, Madoff assumiu a culpa por 11 crimes relacionados a fraudes financeiras e lavagem de dinheiro, motivo pelo qual teve sua prisão decretada imediatamente.

O especulador, cuja fortuna passava dos US$ 800 milhões ao final de 2008, pode ser condenado a uma pena de até 150 anos de prisão.

EFE mgl/bba/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG