Procuradoria da Tailândia pede dissolução de partido governista

Bangcoc, 10 out (EFE) - A Procuradoria da Tailândia pediu hoje ao Tribunal Constitucional a dissolução do governista Partido do Poder do Povo (PPP) por fraude nas eleições de 23 de dezembro de 2007.

EFE |

O órgão, que informou que atuava em seguimento das recomendações da Comissão Eleitoral, também pediu ao Constitucional que desabilite durante cinco anos os 37 membros da executiva do PPP, como autoriza a Constituição de 2007.

A Carta Magna contempla a aplicação desta sanção a todo membro da direção de um partido envolvido em fraude eleitoral ou que, sabendo disso, não aja para evitar os casos.

Yongyuth Tiyapairat, então "segundo" do PPP e porta-voz da Câmara Baixa do Parlamento, foi desqualificado pela Comissão Eleitoral em julho por ter participado da compra de votos durante as eleições gerais.

A Comissão Eleitoral recomendou ao Constitucional a dissolução do PPP em 2 de setembro.

Nesse mesmo dia, o então primeiro-ministro do país, Samak Sundaravej, declarou o estado de exceção em Bangcoc para dispersar manifestantes no palácio do Governo, ocupado pelos seguidores da Aliança do Povo para a Democracia (APD) desde 26 de agosto.

Sundarvej foi inabilitado pelo Constitucional em 9 de setembro por violar a Constituição e seu sucessor e companheiro de partido, Somchai Wongsawat, ainda tenta colocar fim à crise política. EFE grc/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG