Procuradoria belga confirma que menina vista em banco não era Madeleine

Bruxelas, 12 ago (EFE).- A Procuradoria belga descartou que a menina loira vista em uma agência bancária de Bruxelas, e que uma testemunha disse ser a menina britânica Madeleine McCann, fosse a criança que desapareceu no Algarve português em maio de 2007.

EFE |

O órgão fez esse comunicado após examinar a gravação das câmeras de segurança da filial bancária, na qual a testemunha acreditou ter visto a menina, informou hoje a agência "Belga".

A Polícia belga estudou minuciosamente durante vários dias as imagens das câmeras de uma filial do banco KBC, situado no bairro de Molenbeek, em Bruxelas.

A testemunha descreveu uma menina de cerca de cinco ou seis anos, que falava inglês e estava acompanhada por uma mulher de origem norte-africana que se expressava "muito mal em francês".

No entanto, o pai da menina gravada pelo circuito de câmeras do banco viu as imagens na televisão e foi à Polícia, onde disse que, naquele dia, a filha estava em Bruxelas aos cuidados da babá.

Após a divulgação do sumário do caso Madeleine, em 5 de agosto, e por não haver nenhuma prova conclusiva sobre as circunstâncias do desaparecimento, vários jornais britânicos avaliaram a suposta participação no caso de uma possível rede de pedofilia belga.

Desde então, a Procuradoria belga recebeu cerca de 20 testemunhos que diziam ter visto a menina na Bélgica, de modo que já são cerca de 130 pessoas que apresentaram dados sobre o possível paradeiro de Madeleine desde o desaparecimento da menor, em maio de 2007, na localidade portuguesa de Praia da Luz.

A Procuradoria não deu credibilidade à "pista belga", porque assegura que nem os investigadores britânicos nem os portugueses informaram dessa possibilidade. EFE rja/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG