Procurador-geral de Teerã confirma que francesa foi libertada sob fiança

Teerã, 17 ago (EFE).- O procurador-geral de Teerã, Said Mortazavi, confirmou hoje que a cidadã francesa Clotilde Reiss, acusada de conspiração e espionagem, foi libertada sob o pagamento de uma fiança, mas que não tem autorização para sair do país.

EFE |

Em declarações divulgadas pela agência de notícias local "Fars", Mortazavi revelou que Reiss, uma jovem professora de 24 anos, pagou uma fiança de cerca de 215 mil euros.

O representante iraniano ressaltou que "as investigações sobre o caso (de Reiss) concluíram", mas disse que a cidadã francesa "não tem permissão para sair do Irã".

Reiss, que era professora na Universidade de Isfahan, no centro do país, foi detida em 1º de julho no aeroporto internacional de Teerã quando sairia do Irã.

Um mês depois, no julgamento em massa realizado contra cerca de 100 pessoas acusadas de provocar distúrbios após as eleições presidenciais de 12 de junho, foi acusada de participar dos atos e informar à embaixada francesa.

Durante a audiência, a jovem admitiu o que denominou de "um erro" e pediu perdão ao povo iraniano, além de clemência à Corte revolucionária que a julga. EFE msh-jm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG