Procurador-geral da Espanha não apoiará caso sobre Guantánamo

O procurador-geral do Estado espanhol, Cándido Conde Pumpido, anunciou que a procuradoria não apoiará a ação apresentada na Audiência Nacional contra os assessores do ex-presidente americano George W. Bush que criaram o problema jurídico da prisão de Guantánamo.

AFP |

A ação foi apresenta ao principal tribunal espanhol em 17 de março contra seis advogados americanos considerados os "responsáveis jurídicos" pela criação do centro de detenção.

Conde Pumpido afirmou à imprensa que considera a petição "fraudulenta" e que seria um "artifício", já que não aponta os autores materiais dos atos de tortura que denuncia.

"Se você atua por um crime de tortura a prisioneiros de guerra, a denúncia deve ser contra os autores materiais", disse.

O juiz de instrução Baltasar Garzón, que recebeu a demanda, havia solicitado recentemente que a procuradoria se pronunciasse sobre o curso que deveria seguir.

pal/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG