Londres, 22 set (EFE).- A procuradora-geral do Reino Unido, Patricia Scotland, foi multada em 5.

000 libras (5.500 euros) por contratar uma imigrante ilegal como empregada doméstica, informou hoje a Agência de Fronteiras do país.

Segundo o órgão, a procuradora-geral não sabia que estava empregando uma pessoa em situação irregular no Reino Unido. Por outro lado, infringiu a lei ao não tirar uma cópia dos documentos que lhe foram apresentados quando contratou a doméstica.

Scotland se desculpou por contratar Loloahi Tapui, nascida no Tonga (Oceania), e disse que aceitava a decisão da agência.

"Aceito plenamente a conclusão da Agência de Fronteiras do Reino Unido de que não cumpri tecnicamente as regras. Peço desculpas por ter cometido este erro despercebido", disse a procuradora numa nota divulgada hoje.

"Aceito totalmente que deveria ter tirado e guardado cópias (dos documentos) e aceito que é meu dever pagar a multa e já o fiz", acrescentou Scotland.

A Agência de Fronteiras destacou que a legislação obriga o empregador que contrata um estrangeiro a conservar cópias dos papéis que provam que a pessoa pode trabalhar no Reino Unido.

As multas por violação a essas leis podem chegar a 10.000 libras (11.000 euros). EFE vg/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.