Procurador revela pista sobre morte de advogado na Guatemala

Guatemala, 20 mai (EFE).- Uma testemunha anônima do assassinato do advogado Rodrigo Rosenberg revelou hoje ao Procurador dos Direitos Humanos (PDH) da Guatemala, Sergio Morales, os nomes de três das seis pessoas que teriam cometido crime.

EFE |

Rosenberg, assassinado no dia 10 de maio, acusou o presidente da Guatemala, Álvaro Colom, de ser o responsável por sua morte, em um vídeo que gravou antes do crime.

Morales disse que a testemunha enviou a seu escritório um documento no qual assegura que o crime foi cometido por seis pessoas.

"No documento, a testemunha identificou com nome e sobrenome três dos seis supostos assassinos", assegurou Morales.

O Procurador disse que entregou nesta quarta-feira o relatório à Comissão Internacional Contra a Impunidade na Guatemala (CICIG), que investiga o crime, para que determine a veracidade de seu conteúdo.

No vídeo, Rosenberg também responsabilizou Colom pelo assassinato do empresário Khalil Moussa e sua filha Marjorie, em 14 de janeiro.

Segundo o advogado, os crimes foram motivados por uma trama de "negócios ilegais e milionários que vão desde a lavagem de dinheiro até o desvio de fundos públicos a programas inexistentes da primeira-dama, Sandra de Colom, assim como o financiamento a empresas de fachada utilizadas pelo narcotráfico". EFE ca/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG