Procurador de Udine confirma investigação a 14 pessoas pela morte de Eluana

Roma, 27 fev (EFE).- O procurador de Udine, no nordeste da Itália, Antonio Biancardi, confirma que, diante das numerosas denúncias recebidas, sua Procuradoria investiga 14 pessoas pela morte de Eluana Englaro, a italiana em estado vegetativo que a Corte Suprema autorizou a morrer.

EFE |

"A inscrição no registro de investigados de 14 pessoas sobre o caso Eluana Englaro representa um dever", após ter recebido as denúncias, explica Biancardi, em comunicado à imprensa divulgado hoje, depois que a imprensa local informou que o pai da jovem, Giuseppe Englaro, está entre os investigados.

Segundo o procurador, nos últimos dias, recebeu em seu escritório "numerosas" denúncias enviadas ou apresentadas "por parte de cidadãos, todos identificados e identificáveis".

A imprensa local informava hoje que a Procuradoria de Udine, cidade onde fica o centro La Quiete, onde Eluana morreu em 9 de fevereiro, investiga, além de Giuseppe Englaro, o anestesista Amato De Monte.

Em um primeiro momento, a imprensa local afirmava que a investigação ocorria depois que a associação Scienza e Vita (Ciência e Vida) denunciou um suposto crime de homicídio voluntário no caso de Eluana, que morreu após a suspensão da hidratação e alimentação artificial.

Este extremo foi esclarecido depois tanto pela Scienza e Vita, que negou ter apresentado denúncia, quanto pela associação Comitato Verità e Vita (Comitê Verdade e Vida), que confirmou haver denunciado por homicídio voluntário Giuseppe Englaro e mais 13 pessoas. EFE mcs/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG