Procurador de Nova York acusa Bank of America e dois ex-diretores de fraude

Nova York, 4 fev (EFE).- O procurador-geral de Nova York, Andrew Cuomo, apresentou hoje um processo contra o Bank of America, o ex-executivo-chefe Kenneth Lewis e o ex-diretor financeiro Joseph Price por enganar os investidores em relação à compra do banco Merrill Lynch.

EFE |

Cuomo iniciou em 2009 uma investigação sobre o acordo de fusão entre as duas entidades, formalizado em 1º de janeiro do ano passado, e as informações passadas aos acionistas.

Além disso, o procurador-geral reivindicou no início de janeiro passado que oito bancos, incluindo o Bank of America, lhe forneçam todos os dados relativos a bônus e compensações que pagarão este ano a seus executivos.

No processo civil apresentado na Corte Suprema de Nova York, Cuomo alega que os diretores desse banco não divulgaram de maneira proposital as elevadas perdas do Merrill Lynch, com o objetivo de que os acionistas aprovassem a operação.

Depois de aprovada a fusão, a direção do Bank of America "manipulou" o Governo federal para salvar o acordo com bilhões de dólares de fundos públicos, manifestando de forma falsa que deixariam sem efeito o compromisso alcançado caso não contassem com ajuda pública, explicou a Procuradoria.

"Esta fusão é um claro exemplo de como as ações das maiores entidades financeiras de nosso país quase levaram nosso sistema financeiro ao colapso", afirmou Cuomo em comunicado de imprensa.

Em 15 de setembro de 2008, o Bank of America anunciou seus planos para adquirir o Merrill Lynch, um dos mais afetados pela crise creditícia, e foi definido em 5 de dezembro daquele ano que os acionistas votariam para decidir sobre a fusão.

A Procuradoria lembrou que, nessa data, o Merrill Lynch tinha registrado perdas de mais de US$ 16 bilhões e afirmou que Lewis e Price "sabiam dessas elevadas perdas e que outras viriam".

Apesar de essa informação ser importante para os acionistas, a direção do banco não quis revelá-la e, assim, os acionistas aprovariam a compra, segundo a Procuradoria nova-iorquina.

De acordo com Cuomo, após a aprovação dos acionistas, Lewis enganou as autoridades reguladoras ao dizer que o banco não poderia completar a fusão sem a ajuda de fundos públicos por causa das perdas do Merrill Lynch.

A Procuradoria assinalou, no entanto, que no tempo transcorrido entre o sinal verde dos acionistas e o pedido de ajuda pública feito por Lewis, as perdas do banco de investimento tinham subido em US$ 1,4 bilhão.

O Bank of America recebeu mais de US$ 20 bilhões dos cofres públicos como resultado dos esforços da direção frente aos reguladores, lembrou a Procuradoria, que pede indenizações pelos prejuízos causados pelo banco, por Lewis e por Price.

Lewis se aposentou no final do ano passado depois de 40 anos no Bank of America. EFE vm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG