Procurador confirma julgamento nos EUA de 50 presos de Guantánamo

Washington, 17 jun (EFE).- O procurador-geral americano, Eric Holder, assegurou hoje que realizará o julgamento nos Estados Unidos de aproximadamente 50 dos 229 estrangeiros detidos na prisão de Guantánamo, em Cuba, enquanto os planos para o fechamento da penitenciária continuam.

EFE |

Holder se apresentou ao Comitê Judicial do Senado para explicar os planos do Departamento de Justiça, entre eles o fechamento do centro de detenções dos EUA em Guantánamo, previsto para janeiro de 2010, como ordenou o presidente Barack Obama no início do ano.

O procurador-geral e secretário de Justiça não informou exatamente o número de presos que seriam julgados por acusações de terrorismo, porque as autoridades só revisaram a situação de aproximadamente metade dos 229 presos que permanecem em Guantánamo.

No entanto, concordou quando a senadora republicana Lindsay Graham afirmou que possivelmente 25% do total dos casos seja julgado, aproximadamente 56 detidos.

Na audiência, Holder assegurou que sua maior prioridade é proteger os americanos de mais ataques terroristas, embora não tenha convencido o senador republicano Jeff Sessions.

Ele disse que Holder é "muito brando" e criticou sua decisão de divulgar vários documentos do Governo anterior, que deram sinal verde ao uso de métodos repressivos nos interrogatórios dos presos.

EFE mp/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG