O ministro indiano das Relações Exteriores, Pranab Mujerjee, afirmou nesta terça-feira que o processo de paz entre Índia e Paquistão, retomado em 2004, está congelado desde os atentados islamitas de novembro em Mumbai, que deixaram 172 mortos.

"Admito que há uma pausa no processo de diálogo conjunto por causa dos atentados de Mumbai", disse Mujerjee à imprensa em Srinagar, a principal cidade da parte da Caxemira sob controle indiano.

"Nossa expectativa, e que destacamos a Shah Mahmoo Qureshi (chanceler paquistanês), é que o Paquistão deve cumprir os compromissos de não permitir que seu território seja usado para lançar ataques terroristas contra a Índia", acrescentou.

As tensões entre as duas potências nucleares do sul da Ásia aumentaram depois dos atentados de Mumbai, a capital econômica da Índia, entre 26 e 29 de novembro, com um saldo de 172 mortos, incluindo nove dos 19 terroristas.

Índia e Paquistão se enfrentaram em três guerras desde que surgiram como nações independentes depois da partilha do Império Britânico das Índias em agosto de 1947. Em janeiro de 2004 retomaram um difícil processo de paz, depois que um quarto conflito bélico foi evitado em 2002.

iw/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.