Prisioneiros voltam ao Líbano após acordo do Hezbollah e Israel

Por Ayat Basma e Avida Landau LÍBANO/FRONTEIRA ISRAELENSE (Reuters) - Na quarta-feira, por meio da Cruz Vermelha, Israel entregou cinco prisioneiros libaneses ao Hezbollah depois de o grupo xiita ter devolvido os corpos de dois soldados israelenses capturados em uma ação realizada pela guerrilha em 2006, dentro do território do Estado judaico.

Reuters |

Entre os homens que chegaram à fronteira em um comboio do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (ICRC), encontrava-se Samir Qantar, o libanês que havia mais tempo estava preso em Israel. Usando calças jeans e um suéter cinza, Qantar viu-se cercado por repórteres e simpatizantes ao chegar.

O Hezbollah prepara uma grande cerimônia de boas-vindas para os cinco homens libertados em consequência do acordo que muitos israelenses descreveram como uma necessidade dolorosa.

O acordo surgiu dois anos depois da guerra de 34 dias provocada pela captura dos soldados e que matou 1.200 pessoas no Líbano e 159 israelenses.

Israel conseguiu os corpos de Ehud Goldwasser e Eldad Regev só depois de haver concordado com libertar Qantar, que cumpria uma pena de prisão perpétua por ter matado quatro israelenses, entre as quais uma menina de 4 anos e o pai dela, em um ataque realizado por uma guerrilha palestina contra uma cidade do Estado judaico.

Os outros quatro libertados são combatentes do Hezbollah capturados no conflito de 2006. Os cinco voaram para Beirute antes da cerimônia de boas-vindas, a ser realizada pelo Hezbollah, na noite de quarta-feira.

O presidente libanês, Michel Suleiman, o primeiro-ministro Fouad Siniora e o presidente do Parlamento do país, Nabih Berri, devem receber os ex-detentos no aeroporto em uma demonstração de unidade nacional. O Líbano decretou feriado nacional devido à libertação dos presos.

De carro, o ICRC levou os cinco homens até a base da missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no vilarejo de Naqoura, onde, pouco antes, o Hezbollah havia entregado dois caixões pretos contendo os restos mortais dos soldados israelenses.

Mais tarde, o Exército de Israel disse que uma equipe de peritos havia confirmado a identidade dos corpos. A guerrilha nunca tinha deixado claro se os dois estavam vivos ou mortos.

Não se sabe como os soldados perderam a vida.

'O lado israelense entregará agora o grande mujahid (guerreiro sagrado) árabe Samir Qantar e seus companheiros ao ICRC', afirmou Wafik Safa, uma autoridade do Hezbollah, após entregar os corpos dos israelenses.

A libertação dos prisioneiros libaneses, os últimos em poder de Israel, segundo o Hezbollah, fecha um capítulo da história recente dentro do qual guerrilheiros xiitas realizaram várias tentativas de capturar israelenses para usá-los como moeda de troca

(Reportagem adicional de Tom Perry e Nadim Ladki em Beirute, Jeffrey Heller e Dan Williams em Jerusalém e Nidal al-Mughrabi em Gaza)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG