Prisioneiros de Guantanámo serão transferidos para penitenciária no Illinois

O presidente americano, Barack Obama, decidiu transferir dezenas prisioneiros atualmente mantidos no polêmico centro de detenção da Baía de Guantánamo para uma prisão isolada na zona rural do estado de Illinois, informou o governo nesta terça-feira.

AFP |

"O presidente ordenou, com nosso apoio unânime, que o governo federal adquirisse a prisão de Thomson", informaram a secretária de Estado Hillary Clinton e o secretário da Defesa Robert Gates em um comunicado.

O texto destaca que "o presidente não tem nenhuma intenção de libertar qualquer presioneiro nos Estados Unidos", o que está de acordo com a legislação americana.

Ainda não está claro quantos dos 210 detentos que ainda estão em Guantánamo serão transferidos para a prisão do Illinois, onde ficarão separados dos outros presos;

Segundo Gates, 116 serão liberados ou extraditados para seus países de origem. Isso deixaria menos de 100 para a transferência - muitos deles considerados perigosos demais para serem soltos, mas que não podem ser julgados por falta de provas.

Nos primeiros dias de seu mandato, Obama assinou uma ordem determinando o fechamento de Guantánamo até 22 de janeiro de 2010, mas admitiu posteriormente que será difícil cumprir a data limite devido à complexidade da tarefa.

"Esta medida não apenas ajudará a resolver o problema urgente da superlotação das prisões federais de nosso país, como também nos auxiliará a alcançar o objetivo de fechar o centro de detenção de Guantánamo de forma segura e legal", afirma o comunicado de Hillary e Gates.

O Departamento de Justiça compraria a prisão "em primeiro lugar para abrigar detentos federais", acrescentaram os secretários em sua nota, indicando que é preciso mais espaço para atender à demanda do sistema carcerário americano.

"Em segundo lugar, o Departamento de Defesa irá operar parte da prisão para receber um número limitado de prisioneiros de Guantánamo", explicaram. "As duas partes da prisão serão gerenciadas separadamente, e prisioneiros federais não terão nenhuma oportunidade de interagir com os detentos de Guantánamo".

O Centro de Correção Thomson, localizado perto do rio Mississippi na divisa com Iowa, permanece praticamente vazio desde sua inauguração, há oito anos, devido a cortes orçamentários.

A prisão é protegida por uma grade externa de quatro metros de altura e uma grade interna de três metros, ambas eletrificadas dos dois lados.

bur-jkb/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG