Um britânico muçulmano de 33 anos foi condenado à prisão perpétua por um tribunal britânico por pertencer à rede islamita Al-Qaea e ter dirigido uma organização terrorista.

Outro acusado foi condeando a dez anos de prisão.

Os réus são Habib Ahmed, de 29 anos, e Rangzieb Ahmed, de 33, ambos residentes em Manchester em se relação de parentesco.

Rangzieb Ahmed, além disso, foi condenado por dirigir uma organização terrorista, sendo a primeira vez que alguém é declado culpado por este delito na Grã-Bretanha.

Habib Ahmed, um taxista, foi detido com dois cadernos, provavelmente agendas de contatos, nos quais estava escrito, com tinta invisível, informações sobre altos dirigentes da Al-Qaeda, assim como nomes e telefones utilizado pelo dirigente da organização Hamza Rabia.

Habib Ahmed teria recebido os cadernos de Rangzieb Ahmed, que, segundo a acusação, pertencia a uma célula terrorista ativa de três homens que preparavam uma missão não especificada no estrangeiro.

Rangzieb Ahmed foi detido no Paquistao em 2006. A Human Rights Watch (HRW) denunciou que ele sofreu torturas durante os interrogatórios.

elm/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.